segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Nazca a Lima- 443 Km- Chegada ao Oceano Pacífico e Rodovia Panamericana

Saída de Nazca
Chegada ao Pacífico
Alegria da kambada por ter conquistado mais uma etapa
Rodovia Panamericana
70 Km de reforma-terra
OFF ROAD em plena Panam
Deserto de lado direto e oceano no esquerdo
Um contraste fantástico

Capital Lima-Transito alucinante
Troca de óleo-BMW-Lima
Muito bem recebidos por Carlos e Cláudio

Após o descanso merecido em Nazca, partimos para Lima, capital do Peru, chegando finalmente ao Oceano Pacífico. Um contraste de paisagens incrível, cordilheira e deserto do lado direto e Oceano Pacífico do lado esquerdo. O vento nos faziam pilotar as motos inclinadas. Aceleravamos com cuidado, pois a pista era de mão dupla, sem acostamento e caminhões provenientes dos países do norte da América do Sul atravessavam a Panam rumo ao sul e o baque do vácuo do vento quando cruzavamos com eles ,balançavam muito as motos. Pegamos um trecho de 50 Km de pista em  reforma e fizemos um delicioso off road na Panam. As motos já sentiam a gasolina com octanagem baixa do Peru, talvez gasolina fajuta, e a GS 800 do David sentiu mais que as 1200. Paradas constantes para fotografar e filmar o visual surreal do trecho, com túneis de pedra da cordilheira, constrastando com o Pacífico. Evitem de pegar esta estrada a noite, pois é completamente deserta e as pequenas cidades no entorno nada tinham de estrutura. Depois de 443 Km, chegamos a Lima 4 horas da tarde, transito caótico, uma confusão geral, e a polícia de transito, em 2 motos, nos tiraram da pista principal de entrada, pois não podem transitar motocicletas. Nos conduziram por uma pista auxiliar , do lado direito. Achavamos que estavamos sendo perseguidos, pois de sirene ligada, nos falavam num espanhol dentro de seus capacetes, e não entendiamos nada. Como sempre, O GPS foi de uma valia grande, pois nos levou a BMW de Lima, onde fomos carinhosamente e prontamente atendidos por Carlos, Cláudio e equipe que rapidamente colocaram a moto do David para verificar a falha no motor por causa da gasolina. Após o atendimento, fomos para o hotel e demos uma volta por Lima, que apesar dos problemas das grandes cidades, é uma linda capital. Amanhã, rumo a Trujillo, a caminho do Equador.

Abaixo,segue um depoimento do Leonardo Gontijo.

"Os melhores amigos, o melhor roteiro e a melhor moto"
PARTE 1

-Aventurar-se de moto em viagens grandes como esta parte de um desejo irresistivel, um impeto para permitir que novas coisas acontecam em sua vida. Mas sera que elas serao mesmo boas ou vai ser apenas cansativo,caro e perigoso? Nao estamos satisfeitos com a rotina e sabemos que a vida tem que ser mais que repetir e repetir. Em 8 mil KM de estrada é certo que muita coisa vai acontecer e estao acontecendo...
Transcorridos uma semana ja nos expusemos em pelo menos 3 situacoes emque as pessoas revelam seu verdadeiro carater e vimos que acabou acontecendo exatamente o que esperavamos... Viajando a noite fomos vitimas de policiais corruptos, e em outra devido a uma situacao bastante inusitada um dos integrantes se perdeu e acelerou para alcancar o grupo. Ocorre que o resto do grupo na realidade estava atras e nao na
frente como supunha e aconteceu entao uma baita confusao. Para piorar foi a noite em uma trecho muito movimentado e em reforma, e o celular nem sempre fuciona por aqueles fim-de-mundo...
Dificil foi ser mais complicado! Mas enfim tudo deu certo, os animos se calmaram, e o que vimos entao por fim foram demonstracoes de altruismo, coleguismo e amizade. Muito legal isto. Muito marcante! Infelizmente estao fazendo falta este ano os 2 irmaos Palhares, originais do grupo, oAlexandre e o Kika. No entanto em contra-partida tivemos um inesperado novo companheiro, o Roger,o qual conheci na vespera da viagem por uma breve hora em uma reuniao da organizacao. Com seus 39 anos eh ele considerado o "menino" da turma; da risada o tempo todo, generoso com as pessoas e se integrou perfeitamente no grupo. Desta forma quando as pessoas sao legais nao ha situacao que seja totalmente ruim. Acaba-se pordar tudo bem, faca sol ou chuva , frio ou calor, e este entao sera otema da parte 2 do proximo blog!

Abracos a todos e vamos la MOTOKAMBADA, porque viagem tambem eh cultura!

5 comentários:

Alex Palhares disse...

'E Motocas!
Parece que o Kika tinha razAo, esses Peruanos sAo uns grandes PDP!!!
+ Bola pra frente!
A turma nAo e mais "DUPERU" agora e "DUCARAI"...
VAo com DEUS.
Alegria!!!

Expedição Machu Picchu 2010 disse...

Oi Motocas
Demorei a entrar em contato, mas o menino Laper e eu estávamos viajando para participar do Enduro da Independência.
Já li e me atualizei de todo Blog e agora vou ficar na escuta.
Muito bacana a viagem e vi que passaram bem pela interoceânica apesar dos pequenos problemas.
Vi também a foto do fiscal da aduana em Inapari e é o mesmo róia da nossa época. Na época achei que ele estava iniciando carreira mas pelo jeito é oreia seca mesmo.
Vocês arriscaram um pouco rodando a noite na interoceânica, principalmente para atravessar a balsa, mas faz parte da vigem...!!!
Como você diz Marcelo, são as paisagens e essas situações que nos levam a essas viagens e as tornam inesquecíveis.

Um grande abraço a todos e boa viagem!!!!!

Du Menin

elcio disse...

Marcelo e demais,
Estou curtindo bastante sua viagem. O asfalto parece tapete mesmo. Curvas incríveis.
Gostaria de saber por que todas as motos não estão com os bagageiros laterais, ou seja, por que se optou por utilizar apenas bagagens sobre as motos.
Um abraço a todos,
Élcio Leite

Anônimo disse...

oi Marcelo, nos conhecemos no posto de gasolina em rio brancoa lembra? to acompanhando a viagem de voces todos os dias, ta muito legal ne?! quando passarem em rio branco na volta, quero oferecer-lher um churrasco ok? boa viagem, abracos, Fernando Zamora

Anônimo disse...

meu email (fernando zamora) é fernando-zamora@hotmail.com agradeceria se respondesse... abraco